Escritor, Investidor e Palestrante

Seu filho está preparado para dizer NÃO ao consumo desenfreado?

Saber lidar com o dinheiro e resistir as “tentações” da sociedade baseada no consumo na qual vivemos não é uma tarefa fácil nem para os adultos, então como preparar nossos filhos para estes desafios?

Saber lidar com dinheiro não é uma tarefa fácil nem para os adultos, imagine só para uma criança. Até que a gente compreenda quais são os limites e as necessidades reais, a caminhada é longa. Determinar prioridades e saber dizer não quando você deseja comprar algo, mas entende que não é o melhor momento, é o maior sinal de maturidade e controle financeiro. Para o bem do seu filho, comece a fazer isso desde cedo, não dê tudo que ele pede de forma desenfreada, porque essa atitude só irá deixá- -lo cada vez mais consumista e fútil.

Infelizmente qualquer um sabe (ou conhece um caso assim) que existem pais que deixam os filhos tomarem as rédeas. Filhos que mandam nos pais não é absolutamente nada normal, como alguns pregam, e isso nada tem a ver com “os filhos de hoje”. Os papéis não podem se inverter, pais que perdem a autonomia e o controle se tornam reféns das escolhas e vontades dos próprios filhos e, além de sintomático (revela uma relação de conformismo e aceitação), é extremamente prejudicial para os dois lados. Pense só comigo, em uma situação dessas, qual a referência que os filhos terão dos seus pais?

Tenho lido bastante sobre o tema educação financeira, todas as minhas decisões quando se trata da educação dos meus filhos são pautadas por muitas análises e reflexões, não costumo fazer nada baseado no meu “achismo” puro e simplesmente. Mas, infelizmente, a maioria dos artigos e livros que falam desse assunto basicamente dão ênfase à importância da mesada e do controle dela na educação financeira dos filhos.

Acabei de lançar recentemente o livro Educando Filhos para Empreender – Editora Ser Mais (Literare Books), e nele trato de um dos assuntos mais polêmicos em relação à criação e educação dos filhos: a mesada. Cada um, sem dúvida, tem os seus motivos para defender um lado ou outro, a questão para que se deve atentar aqui é: por que você dá ou não mesada a seu filho? Na sua cabeça seus motivos são claros? E para seu filho, como ele recebe e reage com a sua posição? Geralmente, neste sentido, os pais repassam o que viveram, observe que quem nunca ganhou uma mesada na vida, provavelmente, não dará para os seus filhos, mas ensinará como ele poderá conseguir, porque foi assim com ele.

Como ninguém (ou quase ninguém) se propôs a falar do outro lado, ou seja, pais que não dão mesada, resolvi mostrar, usando a minha própria experiência, o porquê da minha decisão e suas consequências práticas na vida dos meus filhos.

Primeiro, o que me motivou a não dar mesada a nenhum dos três foi prepará-los para a vida e, principalmente, mostrar como é não ter “nada garantido” mensalmente. Assim, percebi que desde cedo eles já começaram a entender como realmente a vida funciona, principalmente a vida financeira que acaba frustrando a maioria dos adultos lá na frente. Se eles fossem acostumados a receber x por mês, talvez pudessem ter se acomodado e, quem sabe, até desistido de pensar e montar os negócios que eles têm hoje. Poderiam ter pensado em trabalhar quando ficassem mais velhos, afinal, teriam dinheiro para ir satisfazendo suas vontades.

Valores como conquista, realização, gratidão, respeito, humildade, resiliência, tenacidade, liderança, interdependência, empreendedorismo, e até mesmo a importância dos desdobramentos da própria competição, precisam ser mostrados e reforçados ao longo da vida. Quem conhece meus filhos e a nossa família sabe que eles carregam e praticam esses valores aqui mencionados. Isso porque, desde que cada um nasceu, tínhamos muito claro em nossas cabeças às pessoas que nós, pais, gostaríamos que eles se fossem.

No livro Educando Filhos Para Empreender apresento outras razões que me fizeram optar por não dar mesada, além de tratar de diversos outros assuntos que fazem parte da relação pais e filhos e principalmente mostro porque acredito e aposto na educação empreendedora como pilar de qualquer família.

Add Comment