Achismos da Sabedoria

ACHISMOS DA SABEDORIA

Fiz uma avaliação e reflexão sobre a minha idade, meu conhecimento e aprendizados ao longo da minha jornada.

O normal é que quanto mais velho somos e vamos ficando, mais conhecimento temos e vamos adquirindo.

Fiz uma rápida regressão para imaginar como eu era desde os 15 anos e fui subindo a idade refletindo sobre o que eu fazia, achava, pensava e sabia em cada fase e em cada época.

Me lembro que com pouca idade possuía uma espécie de “superioridade” ilusória que me impedia de entender muitas coisas.

Percebo hoje a diferença entre o ACHISMO e a REALIDADE de como realmente acontece na vida em cada idade. (Rabisco na imagem abaixo).

Eu e os meus rabiscos em guardanapos — desculpem os garranchos!

Veja neste desenho que o círculo maior representa um suposto conhecimento abrangente, porém não na idade mais velha e sim na mais nova, ou seja, quanto mais novo somos, mais ACHAMOS que SABEMOS ou temos certeza de tudo e o círculo do “achismo” vai diminuindo quando envelhecemos, mas de repente volta a expandir quando ultrapassa os 60 anos.

Percebi nessa reflexão que foi assim comigo: Dos 15 aos 20 já queria ser adulto, eu já sabia de tudo; Dos 21 aos 30 anos, o mundo era pequeno para o que eu já sabia e fazia; Dos 31 aos 40 anos, apesar de me achar o sabidão, a vida me mostrou que não era bem assim e a abrangência do círculo já estava diminuindo; Dos 40 aos 50 anos, a realidade chegou e eu vi que sabia muito menos do que achava que sabia; Dos 50 (minha idade) eu tenho a sensação hoje que não sei de nada e que tenho que reaprender e/ou aprender muita coisa ainda. (Só sei que nada sei!). Dizem que esse sentimento vai equilibrar entre 60 e 70 anos. E que acima dessa idade, voltaremos a pensar como jovens novamente.

Parece confuso tudo isso, mas quanto mais velho você vai ficando vai entendendo que a realidade do ciclo natural do conhecimento é invertida em muitos fatores, principalmente que a sabedoria acumulada apesar de maior por conta do tempo e idade, a SENSAÇÃO e o COMPORTAMENTO é inversamente proporcional. Esse pensamento é uma reflexão profunda e é de certa forma também, uma adaptação da teoria do Efeito Dunning-Kruger. (As pessoas que possuem pouco conhecimento sobre um assunto acreditam saber mais que outros mais bem preparados).

O choque de realidade sempre acontece, mesmo que agora não perceba (e é normal), quanto mais velho você vai ficando, mais coisas você sente que precisa aprender e reaprender.

Sempre é bom refletir sobre seu papel na vida, os ciclos e os ensinamentos que ela te proporciona.

João Kepler

Compartilhe este post com seus amigos