Simple&Co

            Sempre quando falamos de investimentos e finanças de maneira geral, existem duas grandes abordagens: A finanças tradicional, que é composta por teorias baseadas em premissas como a racionalidade dos investidores e que os mercados são eficientes, e a segunda abordagem que começou a ser trabalhado na década de 70 com o prêmio Nobel Daniel Kahneman, que é finança comportamental, que deve levar em consideração as diversas heurísticas presentes em alguns investidores, que fazem decisões não racionais serem tomadas.

            No atual momento do mercado, estou observando muitos investidores se deixando levar por 2 vieses em específico: representatividade e disponibilidade. De forma bastante resumida, o viés da representatividade pode ser definido como aquele em que julgamos o todo, baseado em uma pequena amostra. Já o da disponibilidade é quando fatos que estão sendo mais falados e presentes levam ao julgamento de um todo.

            Qual foi o motivo de eu ter abordado estes dois conceitos?

            Vou trazer alguns questionamentos para reflexão: Quantas pessoas são empregadas por startups vs quantas sofreram das recentes demissões em massa. Quantas startups seguem crescendo e investindo vs quantas estão à beira da ruína. Quantas startups possuem modelos financeiros consistentes e responsáveis vs quantas são grandes queimadoras de caixa que sequer se preocupam em se tornar lucrativa.

Não quero dizer que não enfrentamos um momento complexo, mas mesmo em crises, precisamos ser racionais.

Dando seguimento ao conteúdo desta semana, analisarei o deck da startup Simple&Co, foodtech que desenvolve diferentes marcas no setor alimentício, utilizando de cozinhas parceiras para realizar a produção, neste momento o negócio busca levantar um round via Captable, plataforma de equity crowdfunding. Depois desta análise, trarei 5 startups que estão em alta neste momento e finalizando com um pequeno overview do mercado.

Como sempre gosto de ressaltar, minhas análises aqui não são recomendações de investimento, assim como o fato de o João Kepler dizer que não investiria, não significa que a Startup não é “investível”. Meu foco é compartilhar conhecimento e apresentar as novidades dentro do ecossistema de startups.

 

Abraço e boa leitura.

1. ANÁLISE DECK

STARTUP: Simple&Co

A Simple&Co opera como um grupo de restaurantes asset lights, como? Basicamente a empresa se encarrega por criação de marca, gestão e tecnologia, enquanto utiliza de restaurantes parceiros para a produção na ponta. Assim, entrega para os restaurantes uma possibilidade de monetização extra com sua capacidade ociosa e a startup consegue ter um modelo com escalabilidade e capilaridade.

Problema

A startup endereça três problemas principais a serem resolvidos: O primeiro é a capilaridade, ou seja, a ampla maioria dos restaurantes são locais e com gestão amadora, ou seja, passam longe de atingir uma estrutura semelhante a grandes redes. O segundo problema é sobre a ociosidade, visto que diversos restaurantes não operam com o máximo da sua capacidade, acabam deixando de explorar um potencial disponível. O terceiro é sobre a necessidade de novas fontes de renda, visto que os restaurantes operam muitas vezes com margens apertadas, é interessante novas linhas de receita para complementar o negócio.

Problema
Solução

Solução

A solução da startup é bastante semelhante á uma grande rede de restaurantes, ou seja, a parte de tecnologia de criação de lojas e operações online e a compra dos insumos fica por conta da Simple e o parceiro recebe o pedido, realiza a preparação e envia para a entrega. Apesar de bastante interessante acredito que é um modelo com certa complexidade, visto que precisam garantir a qualidade de ponta a ponta, mas com uma parte fundamental que é o preparo, na mão de terceiros.

Histórico

A startup acrescentou no deck um pouco do histórico e evolução do modelo para chegar ao que possuem de formato atual. Algumas informações são bastante relevante para extrairmos, primeiro podemos observar que a startup já realizou uma captação anjo, que o modelo inicialmente era diferente do atual e que apenas em fevereiro deste ano atingiram o formato atual, ou seja, ainda tem um espaço curto de tempo para avaliarmos com clareza a validação do produto.

Histórico
Roadmap

Roadmap

Optaram por apresentar pouco sobre os resultados obtidos no deck de captação, mas podemos observar que possuem como objetivo encerrar o ano de 2022 com 46 unidades e R$ 6 milhões faturados, um resultado que parece agressivo e desafiador. Alguns pontos precisam ser melhor compreendidos, sobre como será a estratégia de growth não só das unidades, mas de clientes finais e também qual a margem do negócio frente a esse faturamento total pretendido. Quando olhamos para um cenário um pouco mais longo, o cenário de incerteza é ainda maior então é difícil levarmos em conta para a análise.

Founders

Um dos primeiros pontos apresentados no deck é sobre a dupla de founders. Quanto mais inicial o estágio do negócio, mais ele será apoiado nos fundadores, ou seja, o maior peso de análise e decisão será em apostar nas pessoas que estão por trás do negócio. Neste caso, podemos observar que os dois empreendedores possuem experiência de mercado financeiro, principalmente envolvidos com private equity. Senti falta de uma maior experiência inerente ao mercado de alimentação, para melhor compreensão da rotina operacional. Acredito que seja fundamental algum insider deste segmento.

Founders
Rodada

Rodada

Estão com o objetivo de captar R$ 5 Milhões, para investir principalmente na expansão de unidades parceiras e consequentemente a parte comercial de atração de clientes. Para este round, praticarão uma diluição de aproximadamente 19%, resultando em um valuation de R$ 26 Milhões. Pelos materiais encontrados na página da oferta, é possível observar que a startup faturou cerca de R$ 4 milhões no último ano, mas isso em valor bruto, ou seja, o que entra de fato para a startup é um valor inferior, referente a uma margem bruta que no último ano girou em torno de 20%.

Conclusão

O modelo da startup é bastante interessante, e busca gerar valor em uma ociosidade do mercado, ou seja, aproveitar uma ineficiência. A grande questão é que o modelo envolve diversas terceirizações, isto me preocupa um pouco visto que diversos pontos relevantes da operação ficam fora de controle da startup, o que pode ocasionar alguns problemas de qualidade na cadeia, o que é bastante sensível, visto que trabalha com alimentos.

O faturamento bruto é relevante, mas quando olhamos a margem descontada do custo do serviço prestado, vemos que o que fica de receita de fato é apenas cerca de 20%, ou seja, uma margem pequena, que deve ser um ponto de atenção na análise.

Para complementar, utilizei minha ferramenta de valuation para ter uma visão de “preço” do negócio. Considerando as características da startup, algumas premissas tomam um viés mais conservador, chegando ao seguinte resultado:

Conclusão

Esse valuation é o pre-money, considerando o round de R$ 5M, o valuation post-money neste caso seria de aproximadamente R$ 35M, cerca de 30% acima do praticado no round, essa diferença não quer dizer que necessariamente o valuation praticado está baixo, até porque, neste caso, precisaria realizar um ajuste de desconto por conta da margem mais baixa. A ideia com a exemplificação na minha ferramenta, é para passar uma ideia de valor. Caso queira testar ou utilizar a minha ferramenta, ela está disponível pelo link:

Considerando todos os pontos apresentados, é um negócio que eu investiria, porém, com uma baixa exposição dentro de um mesmo portfólio, pois acredito que existem diversos riscos inerentes ao modelo. Será preciso um grande esforço de marketing tanto para o crescimento de unidades parceiros como também de clientes na ponta, e isto deixa o negócio com algumas fragilidades.

Desejo grande sucesso a todo time da Simple&Co em sua captação no site da Captable e quem desejar analisar mais detalhes ou até mesmo aportar nesta oportunidade, pode acessar o deal pelo link abaixo:

Lembrando, essa não é uma recomendação de investimento e é fundamental que você sempre realize as suas próprias análises antes da tomada de decisão.

Os analistas da Eleven Financial redigem os relatórios através das suas opiniões técnicas e pessoais, de forma independente, com base em informações públicas logo, tais posicionamentos são passíveis de mudanças.

Para maiores informações, você pode ler o artigo da INSTRUÇÃO CVM N° 20, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2021 e também o Código de Conduta da Apimec para o Analista de Valores Mobiliários.

Equipe Eleven Financial

Recomendação Técnica - Eleven Research

Startups que atuam no segmento de alimentação tem uma dificuldade adicional com relação às rigorosas regras da vigilância sanitária, que podem limitar o crescimento do negócio. Apesar do modelo win-win que aproveita a ociosidade de restaurantes para alavancar vendas, acreditamos que o desafio de crescimento é significativo em um mercado de delivery já saturado nos grandes centros e que ganhou impulso durante a pandemia.
Vislumbrando um desafio de execução para ampliação da rede de parceiros e também atentos ao background dos executivos que não é ligado ao setor de alimentação, não recomendamos a entrada nessa rodada de investimento. Apesar do conceito de dark kitchens ser difundido em outros lugares no mundo, não vemos grandes oportunidades de saída para os investidores que entrarem agora.

2. CINCO STARTUPS TO WATCH

Destaco ainda alguns negócios que me deparei recentemente e acredito que valem a atenção de todos:

1) Moblix

Plataforma de ecomerce para empresas de turismo. A ideia é prover tecnologia para este segmento em recuperação.

2) Instanteaser

Produção de vídeos customizados de alto impacto e de forma mais escalável.

3) Workhub

Plataforma para criação de intranet dentro de empresas, serviço frequente em grandes corporações.

4) Growyx

Plataforma para alocação de profissionais com dedicação de até 4 horas diárias, garantindo segurança jurídica no processo.

5) Guiavet

Startup especializada na gestão e acompanhamento da saúde do pet.

3. OVERVIEW DO MERCADO

Comecei o texto de hoje falando sobre heurística e vieses comportamentais que muitas vezes nos levam a ter uma percepção incorreta durante a realização de nossas análises. Enquanto algumas startups anunciam suas demissões em massa, temos outras anunciando sucesso em rodadas de captação, que permitirá novas gerações de emprego. Recentemente tivemos alguns cases, como a Incognia, startup de Recife que há alguns meses levantou USD 16 milhões, a Inventa, que levantou R$ 260 Milhões em abril e a Galena, que também em abril captou USD 16 milhões. Estes três exemplos são apenas de startups brasileiras e que levantaram rounds com fundos de estágio mais maduro, o que demonstra a existência ainda de uma boa liquidez no mercado.

No early stage, não é diferente, os investimentos em startups por anjos e fundos de estágio inicial continuam acontecendo em cifras elevadas e deve permanecer ainda pelos próximos meses, visto que muitos dos investidores possuem caixa reprimidos de levantamento de capital recente, e que apesar de maior cautela, serão alocados.

O fator da taxa de juros eleva o retorno requerido, mas de qualquer forma, o retorno médio de Venture Capital ainda é superior a diversas modalidades de investimento, ou seja, continuara sendo uma forma de alocação para os que buscam retornos mais elevados, mais obviamente, pagando valuations mais baixos, para permitir o retorno desejado.

Sigo acompanhando as movimentações e espero trazer novidades na próxima semana

4. PITCH REACT

Quer mais conteúdo em outro formato? Se ainda não conhece e para todos aqueles que já acompanham, não deixe de assistir ao PITCH REACT no meu canal.

Semanalmente as quartas à noite serão apresentados novos vídeos, meu objetivo é mostrar como eu reajo a apresentações de diferentes startups.

A ideia é que, ao mostrar os erros e acertos dos empreendedores – e um pouco da visão do investidor diante deste tipo de apresentação, quem esteja assistindo consiga absorver os aprendizados que precisa para inserir na sua própria jornada.

Se você não quer perder nenhum episódio, não se esqueça de se inscrever no meu canal e ativar as notificações!

Assista ao último vídeo: https://youtu.be/11QsARRKm1c

Se você é uma startup e quer ser analisada e/ou aparecer aqui e ser analisada no The STARTUP Analysis:

Se você é uma startup e quer aplicar para a possibilidade de receber investimento na Bossanova:

Quer ler as ANALISES anteriores:

Esse Report não é uma recomendação de investimento e muito menos pedido de investimento. Antes de investir em Startups é importante observar os altos riscos envolvidos, verificar a legislação e a regulação vigente. Da mesma forma, antes de realizar qualquer investimento, sempre faça as suas próprias análises.