Okanal

O investimento em Venture Capital está na categoria dos investimentos alternativos, que basicamente envolvem todos os ativos que não se enquadram nos mercados tradicionais de bolsa de valores e renda fixa. Algumas características gerais deste tipo de investimento é sua baixa liquidez, possibilidade de negociação em mercados privados, baixa correlação com mercados e alta assimetria informacional. Este último ponto, é um dos que mais deve acender o alerta á qualquer um que desejar entrar investir nesta classe de ativos.

O nível de acesso á informações está relacionado á quanto todos os stakeholders possuem de dados para a tomada de decisões. O mercado de startups é privado, portanto, bastante diferente do que vemos nas empresas listadas em bolsa, não basta entrar no site do RI que teremos todas as informações do negócio, além também da cobertura por diversos analistas que emitem suas opiniões sobre cada case. Por este motivo, uma das principais maneiras de acessar esta modalidade é através de fundos, que possuem estrutura dedicada para analisar e buscar informações sobre cada negócio.

As plataformas de crowfunding mudam um pouco este cenário, e já trazem maior publicidade aos dados das startups que buscam o aporte e possibilitam ao investidor individual aprofundar em sua diligência, mas ainda existe pouco conteúdo educativo e até mesmo visão técnica que colaboram com a formação da opinião de cada investidor. Pensando neste contexto que trago essa análise semanal, inspirado nos modelos de research para compartilhar um pouco da minha visão sobre startups com captação pública em andamento.

A startup analisada de hoje é a Okanal, plataforma que busca conectar fãs á ídolos, conseguindo promover uma forma de interação entre famosos e pessoas que desejam ter algum contato com eles.

Como sempre gosto de ressaltar, minhas análises aqui não são recomendações de investimento, assim como o fato de o João Kepler dizer que não investiria, não significa que a Startup não é “investível”. Meu foco é compartilhar conhecimento e apresentar as novidades dentro do ecossistema de startups.

 

Abraço e boa leitura.

1. ANÁLISE DECK

STARTUP: Okanal

A Okanal basicamente é um marketplace para conectar ídolos á fãs, através da venda de vídeos com mensagens ou até mesmo ligações. Para os ídolos agem como uma fonte de receita e para os fãs um produto que pode servir como presente. 

Problema

A startup elenca como problema a ser resolvido a jornada de monetização de celebridades da base de fãs que cultivam, principalmente em suas redes sociais. As celebridades conseguem manter uma enorme base de pessoas que acompanham engajadas suas rotinas, entretanto não conseguem extrair receita desta relação. O problema sem dúvidas é válido e relevante, entretanto é bastante complexo, uma vez que a solução toma tempo e esse tempo é bastante valioso para as celebridades. É preciso entender se o valor obtido com a solução é satisfatório para essas pessoas.

Problema

Solução

A solução da startup é bastante simples, basicamente a jornada do cliente consiste em selecionar o ídolo em seu site, escrever a mensagem que deseja que o ídolo fale no vídeo e aguarde o retorno. Na outra ponta, o ídolo recebe a solicitação, grava o vídeo e submete na plataforma. Com o vídeo pronto, a startup envia para o cliente que solicitou. O processo é simples, mas mais uma vez enxergo que não resolve completamente a dor do ídolo, pois é uma fonte de receita que ele não consegue escalar e a solução precisa gerar um retorno financeiro interessante para que ele engaje na solução.

Modelo de negócios

O modelo de negócios também é simples e dentro do padrão de marketplace, ou seja, um take rate sobre o valor da venda. É um produto apoiado na transação, ou seja, sem recorrência e a plataforma obtém uma fatia de 30% do valor que é transacionado e ainda considera uma parcela que é repassada ao empresário da celebridade, que é normalmente o canal de fechamento da parceria com a startup. Neste ponto, é um modelo que não foge do esperado para marketplace e portanto também sofre da principal dor que é o ganho de crescimento em duas pontas, ou seja, pro negócio ganhar volume precisa de constante crescimento de ídolos e compradores.

Concorrência

Concorrência

A startup trouxe em seu deck uma análise dos concorrentes baseados no número/notoriedade dos talentos que possui cadastrados. Um primeiro ponto a se observar é que existem diversos concorrentes mas nenhum com case de sucesso no mercado nacional, este ponto pode ser visto por duas óticas: A primeira é de que o segmento é complexo e o mercado nacional possui suas complexidades, a segunda é que ainda existe um espaço a ser ocupado e se pegarmos uma referência a nível global, temos uma possibilidade de oportunidade.

Time

Um ponto relevante neste negócio é a presença de insiders no time, é um mercado que o relacionamento e a capacidade de atração dos ídolos é um grande diferencial. Este fator, parece ser cumprido pelo negócio, que possui uma produtora experiente entre os membros da equipe, sendo complementada por uma pessoa com visão de negócios e um membro do time para olhar tecnologia e growth, partes chaves deste tipo de operação. 

Time

Rodada

Estão buscando um round de R$ 1,5 milhões em um valuation entre R$ 10,7M e R$ 12,5M, buscando captar a maior parte deste valor (R$ 1,1M) pela plataforma de crowdfunding da SMU. Apontam em outro trecho do deck que 76% do recurso será utilizado para contratação do time, focados nos pilares de gestão dos talentos, growth e tecnologia. Entendo que essa parte de estruturação é fundamental, mas é um negócio que irá precisar de recursos intensivos em campanhas de marketing para conseguir escalar, talvez um crescimento mais enxuto de time e um maior uso da rodada para growth fosse mais coerente.

Conclusão

O negócio é interessante e por envolver ídolos cria um apelo inicial, entretanto enxergo algumas dificuldades operacionais muito relevantes. O primeiro é bastante atrelado ao modelo, o fato de ser um marketplace B2C, será necessário esforços intensivos em marketing para conseguir ganhar escala, ou seja, um negócio de elevado burn. Um outro ponto é que a ponta vendedora dessa cadeia é de relacionamento bastante complexo, exigindo um grande esforço de atração e engajamento desta celebridade em utilizar e divulgar a plataforma para potencializar as vendas.

Acredito que estes desafios conversam com o fato da startup estar há algum tempo no mercado e ainda não ter encontrado o caminho de tração, alinhado também ao cenário competitivo, que conta com a presença de alguns players, em diferentes estágios, mas que ainda não obtiveram resultados expressivos até mesmo em captação de recursos e atração de investimentos.

Para complementar, utilizei minha ferramenta de valuation para ter uma visão de “preço” do negócio. Importante ressaltar que pela parte financeira realizada ser pouco significativa, a avaliação de valor do negócio pode se pautar em aspectos mais qualitativos, aplicando pela minha plataforma cheguei ao seguinte resultado:

Esse valuation é o pre-money, considerando o round de R$ 1,5M, o valuation post-money neste caso seria de aproximadamente R$ 6,58M, aproximadamente 40% inferior ao proposto pela startup na rodada, que neste caso, acredito estar com a preocupação em captar um recurso que vai ser suficiente para buscar o crescimento do negócio, mas sem prejudicar o cap-table e inviabilizar novas rodadas, que serão essenciais para manter o burn necessário para ganhar escala. Caso queira testar ou utilizar a minha ferramenta, ela está disponível pelo link:

Considerando todos os pontos apresentados, é um negócio que vejo algumas barreiras de crescimento e desafios que eu optaria por não investir. Entendo que existem alguns fatores que beneficiam o case, como o fator da proximidade com algumas celebridades, que ajudam no gargalo de atração dos ídolos, mas ainda sim é um negócio com alta necessidade de caixa e precisará de boa performance em sua jornada de venture para conseguir ganhar escala.

Desejo grande sucesso a todo time da Okanal em sua captação no site da SMU e quem desejar analisar mais detalhes ou até mesmo aportar nesta oportunidade, pode acessar o deal pelo link abaixo:

Lembrando, essa não é uma recomendação de investimento e é fundamental que você sempre realize as suas próprias análises antes da tomada de decisão.

Os analistas da Eleven Financial redigem os relatórios através das suas opiniões técnicas e pessoais, de forma independente, com base em informações públicas logo, tais posicionamentos são passíveis de mudanças.

Para maiores informações, você pode ler o artigo da INSTRUÇÃO CVM N° 20, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2021 e também o Código de Conduta da Apimec para o Analista de Valores Mobiliários.

Equipe Eleven Financial

Recomendação Técnica - Eleven Research

O modelo de negócio da startup é muito interessante, porém tem uma dependência enorme de um de seus sócios, no caso a Diretora de Talentos Elaine Macedo e seu networking no meio artístico. Por outro lado, esse é exatamente o maior diferencial da startup.
Acreditamos que existem desafios de escala nesse tipo de negócio, mas que há uma trilha de consolidação que pode ocorrer com a startup consolidando o mercado ou sendo adquirida por algum player estrangeiro, o que daria uma importante porta de saída para os atuais investidores.
Acreditamos que a necessidade de novos levantamentos de capital para executar o plano de expansão e atingir a meta de talentos cadastrados na plataforma vemos como outra oportunidade para quem entrar nessa rodada de investimento.
Recomendamos a participação nessa rodada de investimento destacando novamente o risco de se investir em empresas nesse estágio de maturação. Nesse caso, um grande risco é o aumento do custo de aquisição de talentos, que pode comprometer o fluxo de caixa do business.

2. CINCO STARTUPS TO WATCH

Destaco ainda alguns negócios que me deparei recentemente e acredito que valem a atenção de todos:

1) Handtalk

Ferramenta de acessibilidade que através de um app facilita a comunicação envolvendo a linguagem de sinais. 

2) Biosolvit

Startup de biotecnologia focado no desenvolvimento de produtos e soluções destinados a preservação da flora e águas.

3) Appiito

Sportech que busca conectar o online e o offline, através de um app que cria uma comunidade e quadras de futebol com aparato de tecnologia.

4) Educbank

Startup com soluções financeiras para o mercado de ensino básico de toda a américa latina.

5) Munddii

Plataforma que busca conectar a cadeia de industrias, lojistas e consumidores focada em gerar mais vendas.

3. OVERVIEW DO MERCADO

O ano 2022 como já esperávamos segue bastante desafiador e com alguns fatores que trazem ainda mais incerteza, como por exemplo, as eleições aqui no Brasil. Entretanto, alguns indícios de melhora começam a aparecer, no boletim Focus dessa semana (Relatório que reúne expectativas do mercado sobre principais indicadores econômicos), podemos ver que as expectativas para a inflação em 2022 seguem diminuindo e chegaram a 7,54%, frente aos 8,27% que existia de expectativa há 4 semanas atrás.  Com uma melhora no cenário inflacionário, também podemos esperar a interrupção do ciclo de alta na taxa de juros, que segue com a expectativa estabilizada em 13,75%. Por fim, um sinal também positivo é que o crescimento do PIB que era esperado ser de 1,5% há 4 semanas, agora já atinge a marca de 1,75%.

Os indicadores estão bons? Não. Mas um sinal de melhora já traz uma mensagem positiva, principalmente de expectativa de crescimento e retomada de um cenário de estímulo á negócios. Talvez ainda não tenhamos passado pelo pior, mas já é possível enxergar uma luz no fim do túnel.

No mercado de Venture Capital, as últimas semanas já demonstram uma certa estabilidade, com a diminuição do pânico que estava sendo criado e com uma sequência de notícias positivas de startups captando e mantendo seu crescimento.  Obviamente todos anseiam por um cenário ainda melhor, com níveis de liquidez semelhante ao que vivemos nos últimos anos, mas bons empreendedores, com bons negócios continuam tendo bastante espaço para crescer e trazer resultados.

4. PITCH REACT

Quer mais conteúdo em outro formato? Se ainda não conhece e para todos aqueles que já acompanham, não deixe de assistir ao PITCH REACT no meu canal.

Semanalmente as quartas à noite serão apresentados novos vídeos, meu objetivo é mostrar como eu reajo a apresentações de diferentes startups.

A ideia é que, ao mostrar os erros e acertos dos empreendedores – e um pouco da visão do investidor diante deste tipo de apresentação, quem esteja assistindo consiga absorver os aprendizados que precisa para inserir na sua própria jornada.

Se você não quer perder nenhum episódio, não se esqueça de se inscrever no meu canal e ativar as notificações!

Assista ao último vídeo: https://youtu.be/11QsARRKm1c

Se você é uma startup e quer ser analisada e/ou aparecer aqui e ser analisada no The STARTUP Analysis:

Se você é uma startup e quer aplicar para a possibilidade de receber investimento na Bossanova:

Quer ler as ANALISES anteriores:

Esse Report não é uma recomendação de investimento e muito menos pedido de investimento. Antes de investir em Startups é importante observar os altos riscos envolvidos, verificar a legislação e a regulação vigente. Da mesma forma, antes de realizar qualquer investimento, sempre faça as suas próprias análises.