Todo mundo pode vender pela internet?

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Cada vez mais a internet tem se tornado um importante e representativo canal de vendas. Atualmente é comum encontrar inúmeras lojas de diferentes segmentos que estão utilizando o canal para ampliar sua atuação e buscar novos mercados. E com a popularização deste novo formato de fazer negócios é inevitável que os empreendedores, independentemente da sua área de atuação, se perguntem: mas será que eu também posso usar este canal a meu favor? Afinal, qualquer negócio/segmento pode dar certo na internet?

 

O primeiro ponto para responder as perguntas acima é entender que vender pela internet não é simplesmente montar um e-commerce e começar a enviar produtos. Mais do que um canal de vendas, a internet é um importante canal de relacionamento e isso significa que mesmo que você não veja seu cliente na sua frente fisicamente você precisa se relacionar com ele através das ferramentas que a própria internet oferece. Parece óbvio, mas muita gente acaba se esquecendo que na frente do computador ou celular existe uma pessoa que está realizando a compra, não um robô. E clientes precisam de atenção, às vezes de esclarecimento, orientação. E um dos maiores erros dos empreendedores é simplesmente automatizar todos os processos e nem sequer se preocupar com o feedback dos seus consumidores. Um verdadeiro tiro no pé.

 

Convenhamos que a ideia de ter uma loja que permanece aberta 24 horas por dia e 7 dias e que pode atingir qualquer consumidor no mundo, além de tentadora pode ser um grande “boom” para o seu negócio. Mas ao desenhar um site de e-commerce, algumas coisas devem ser consideradas. Montar uma loja virtual não é tão simples quanto simplesmente implementar um software de carrinho de compras e inserir produtos em um banco de dados.
Independente da motivação que esteja te fazendo refletir sobre a entrada ou permanência/ampliação da sua atuação na internet, o primeiro passo é entender o que está por trás do seu projeto. Você terá um negócio e não simplesmente um site que expõe seus produtos para a venda. O comércio eletrônico atual no Brasil já não dá espaços para atitudes amadoras. Portanto, antes de tudo, seja profissional. Tome atitudes empreendedoras, estude, planeje e dedique-se.

Existe espaço sim para todos os segmentos de negócio na internet, principalmente, desde que sejam bem estruturados e planejados. Uma dica neste sentido é escolher um nicho que você domine, essa é inclusive, a melhor forma de lidar com a concorrência dos grandes players no mercado. Se você tiver conhecimento e paixão pelo que oferece aos consumidores é meio caminho andado para entende melhor seus clientes e se tornar uma referência naquele segmento específico. Faça pesquisas regularmente, principalmente quando for criar o conceito de sua loja virtual e quando pretender lançar novos produtos.

Tendo a noção de que você tem um negócio, é preciso agir como um empreendedor. Faça cursos, se informe bastante sobre o tema, vá a encontros e eventos relacionados e converse com as pessoas que já estão atuando no mercado. Não é segredo para ninguém que no mundo dos negócios, físico ou virtual, é fundamental construir uma base sólida de contatos. Se capacite, se informe e faça networking sempre que possível.

Outro ponto importante diz respeito à forma como algumas empresas conduzem o atendimento ao cliente. Traga seu cliente, facilite o aceso dele e nunca crie barreiras ou empecilhos que possam desestimular ou fazer com que ele desista de concluir a compra. Disponibilize chats, e-mails e telefone nas páginas para tirar qualquer dúvida de seus clientes. Isto pode ser um fator de diferenciação de sua loja, que se traduzirá em vendas e em um melhor relacionamento com seus clientes, o que dará mais confiança a eles.

Lembre-se que estamos falando de relacionamento no sentido mais literal da palavra, por isso nunca prometa algo que não possa cumprir, afinal a confiança é construída através de boas experiências. O prazo de entrega precisa ser real e não caia no erro de prometer um prazo pequeno para atrair o cliente. O ideal é que prometa um prazo até maior para evitar reclamações e ainda o efeito surpresa do cliente receber antes do esperado deixará ele mais contente. O mesmo vale para as promessas de frete grátis e descontos. Se prometeu, cumpra.

É bom lembrar ainda que o consumidor geralmente não compra na primeira visita e a taxa de conversão para novos visitantes gira em torno de 3%. A recompra é responsável pela grande maioria do volume das vendas de vários lojistas virtuais. A taxa de conversão média, através de uma comunicação por e-mail, ultrapassa os 14% em certos casos. Então, dê bastante valor às pessoas que já compraram na sua loja e estreite o relacionamento com elas. A palavra de ordem é relacionamento e não necessariamente venda.

 

 

Compartilhe este post com seus amigos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email